Amigos

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O MESTRE INTERIOR

Aquele que nos ouve em silêncio
e nos remete aos sentimentos puros
Nos oferece sempre o seu apoio
sem  nada exigir de explicação.
O seu silêncio como que nos doa
uma flor de ouro que nos ilumina
e abre em nosso peito  a luz
do coração...
Uma praia imensa sob um céu
de estrelas,
uma bebida quente à beira
de um braseiro,
um olhar profundo e
um sorriso breve...
O  Mestre se revela como a Estrela Guia,
quem de pronto tem todas as respostas e
sem questionar  seus medos,
apenas pensa o infinito de
viver a Paz...
O manso olhar que se habitua
a ver o que ninguém conhece,
do coração que esconde anseios
tão profundos ,
do desejo imenso de ver e de viver
a verdadeira dança das estrelas
e da luz que se revela em algum lugar.
O Mestre que habita o centro e o todo
da Alma que tutela,
diz sem palavras aquilo que se espera:
-A  Paz virá!

E o canto ancestral dos companheiros
ecoa pela praia iluminada...
e os seus cantares  fluem e
refluem no Oceano...

Guaraciaba Perides

domingo, 6 de agosto de 2017

AMOR DE PURPURINA

Preciso de um pouco,
um pouco só de purpurina...
Para desenhar uma flor em minha alma
e fazê-la brilhar à luz do sol
como um enredo exposto
sem temer qualquer  segredo.
Um pouco de perfume é sempre bom
para dar vida ao pensamento
que teima brotar em minha mente
Talvez um lenço bordado que recorde
o traçado leve de um sorriso...
Preciso um pouco só de purpurina
para ver dançar a bailarina,
para ouvir a música que embala
o coração apaixonado de um  'alguém'...
Para dançar ao som de um compasso,
para viver um sonho bem sonhado,
igual  aquele que não se compreende
mas, inebria a alma como um vinho...
Amor de purpurina é tatuagem
que crava no peito um coração,
são palavras que perduram pelo tempo,
são vestígios brilhantes da paixão.
Amor de purpurina se desfaz ao vento
mas deixa em seu rastro muita luz...

Guaraciaba Perides


Amores de antigos Carnavais que deixaram em rastros de purpurina
 tantas saudades e lembranças em   Helenas, Rosas e Marias................





Carnaval e suas lembranças em  qualquer tempo é sempre bom
e alegra um domingo de frio...



quarta-feira, 26 de julho de 2017

VIDA, SONHO OU FANTASIA?

A mente que flutua
no mar do inconsciente
sonha, vive ou fantasia?
E o que vem a ser
o que se  sonha
ou vive,
senão a realidade que se  quer
vivida ou que sequer  sonhada ...
A mente espreita a vida
com olhos de inquietude,
a alma que delira não se toca...
Só quer viver o sonho
seja ela apenas sonho
ou fantasia.
O resto é apenas o Infinito...
E o sonho da matéria ou
da alma são apenas reflexos
da luz que se reparte...
E se transponho o espaço do normal
de toda a gente,
posso , de  repente, ser o outro
do outro lado do espelho em que
me fito...
Sou eu o que me olha ou
a imagem que me indaga?
Mas, quando a  mente se aquieta
a alma sente, então, a liberdade ,
pura e livre dos entraves da censura,
transpõe o espaço e  no tempo abre
as asas como um pássaro, a realizar
em plenitude os outros  planos
onde o tesouro está...
onde o pensar é só pensar e  aí entenderá
a beleza do ser da verdadeira Vida.

Guaraciaba  Perides


Música  "Beatriz"   de Chuco Buarque e Edu Lobo

terça-feira, 18 de julho de 2017

ROSAS E LAVANDAS

Rosas e lavandas...lavandas e rosas
Perfumes de outros dias,
idos e vividos.
memórias de guardados ...
Nos campos de lavandas,
perfumes pelo ar.
O céu faz a moldura 
das flores maravilhas...
Nos campos dos rosais
multiplicam-se as belas
Na essência, que divina,
distribui  afetos revelando amores.
Lavandas e rosas, rosas e lavandas.
Tempos de sonho onde a eternidade
brinca de viver...
A Dama do castelo sonha o amanhecer
enquanto  a  Camponesa bela
canta o  por do sol,
e quando a lua chega, no céu
cheio de estrelas,
perfumes de Lavanda, suaves
como em sonho,
despertam nas roseiras
fragâncias de outras eras...
A rosa vermelha enlaça a rosa branca
encostam suas folhas delicadamente
dançando ao som da brisa que
passa ternamente.
Os campos de lavandas murmuram
uma canção,
costurando a brisa entre seus perfumes...
Passa o  Poeta pela estrada adiante,
mira no mistério da beleza rara,
e à luz da lua , toca um bandolim.
Lavandas e rosas, rosas e lavandas,
são essências puras,
natureza mansa de muitas lembranças
que perpassam o tempo 
de outra realidade.
Memórias de guardados...

Guaraciaba Perides

Campos de lavanda   ( imagem da internet)


Roseiral    (imagem da Internet)
Ao som do Bandolim

Lavandas e rosas para embalar nossos sonhos...desde sempre e eternamente...

sábado, 8 de julho de 2017

A VIDA É UM SONHO .... de Calderón de La Barca (escritor espanhol 1600 - 1681)

Na  Comédia estreada em 1635, Calderón de La Barca escreve o famoso monólogo do Príncipe Segismundo, uma das mais belas páginas da literatura.  A Vida é um Sonho:

1-
É certo, então reprimamos
Esta fera condição.
Esta fúria, esta ambição,
pois pode ser que sonhemos;
e o faremos, pois estamos
em um mundo tão singular
que o viver é só sonhar
e a vida ao fim nos imponha
que o homem que vive sonha
o que é , até despertar.

2-
Sonha o rei que é rei, e segue
com esse engano mandando,
resolvendo e governando.
E os aplausos que recebe,
vazios , no vento escreve
e em cinzas sua sorte
a morte talha de um corte.
E há quem queira reinar
vendo que há de despertar
no negro sonho da morte?

3-
Sonha o rico a sua riqueza
que trabalhos lhe oferece;
sonha o pobre que padece
sua miséria e pobreza;
sonha o que o triunfo preza,
sonha o que luta e  pretende
sonha o que agrava e ofende
e no mundo, em conclusão,
todos sonham o que são,
no entanto ninguém entende.

4-
Eu sonho que estou aqui
de correntes carregado
e sonhei que em outro estado
mais lisonjeiro me vi.
Que é a vida ? um frenesi
Que é a vida? uma ilusão;
uma sombra, uma ficção;
O maior bem é tristonho
porque toda a vida é um sonho
e os sonhos, sonhos  são.

...............................................................................





"Morrer, dormir, dormir talvez sonhar ..." William Shakespeare

quarta-feira, 28 de junho de 2017

INTERSECÇÃO.*

Nas águas  límpidas de um  lago
a lua veio banhar-se numa noite cálida
A prata que escorria em seus cabelos
eram imagens perfumadas de outras eras;
vibrantes flores aquáticas circulavam
em ondas de luzes cintilantes...
e monocórdios grilos embalavam sons
no silêncio  da  noite estrelada.
Não tão longe, uma estrada sinuosa  trazia
procissão de gente  antiga...de outros jeitos
e modos e que cantavam e dançavam aos
sons de risos...
Gaitas de foles acompanhavam alegres
a festa que passava, ancorada em
outro espaço e tempo vibrando pela
noite adentro.
Passaram por mim sem me  notarem e
não sabiam que seus risos eram transpostos
pela aliança entre o espaço e o tempo que viviam
mas chegando até  a mim na noite cálida...
Depois foram sumindo pela névoa do caminho,
seus risos e  seus cantos  se esvaindo
em outra realidade.
Fiquei sozinha  à beira do lago
observando as flores prateadas...



Guaraciaba Perides

* texto poético adaptado em outro contexto de uma experiência vivenciada e
relatada por CARL  JUNG   em seu livro  Memórias  Sonhos e Reflexões



Quadro de Monet



música celta de gaitas e violinos

domingo, 18 de junho de 2017

NA SOLIDÃO DAS ESTRELAS

QUADRO DE VAN  GOGH


No  Universo que contemplo
Parte dele ou do  Todo, senti
construir em mim
a ideia de Infinito...
São os pontos luminosos
que de tão longe ou de perto
fazem de mim componente
de toda a esfera circundante...
E fazer parte do Todo faz
de alguém que o compreende
a ilusão de ser o Tudo
na plenitude de Deus.
Não há solidão nas estrelas,
nem no espaço do Universo,
porque apenas somos parte
da  consciência do Ser.
Diante do Cosmos vibrante,
abro a janela e contemplo,
como num sonho ou ilusão
aquilo que me parece,
mas que já sei que não é,
a solidão das estrelas...
Pois, o vazio não existe,
preenchido pelas luzes
que se dividem e se expandem
na  grande esfera brilhante
de uma Consciência  Maior.
E no espanto do encanto
que esta ideia me produz
só posso pensar que somos,
Eu , você, e todo o mundo,
o espelho que reflete
a  Sagrada Face de Deus.

Guaraciaba Perides